O Sr. Fonseca


                        Manuel Gomes da Fonseca, de seu nome completo, mais conhecido por Fonseca.Pertencia á

        minha secção.Era um camarada calmo, pouco expansivo, enfim um bonacheirão.Sempre educado, nunca

        levantou problemas entre o grupo e tudo fazia, sempre nas calmas,

                        Não me recordo porquê, mas a partir de determinada altura comecei a chamá-lo de Sr.Fonseca.

        Sr. Fonseca faça isto, Sr, Fonseca faça aquilo, e assim ficou.

                        A caminhar em campo aberto ou em  corta mato, as secções alternávam  na cabeça do grupo

        de combate, e dentro destas, entre todos os seu componentes.Muitas vezes, e especialmente em progressão

        de aproximação ao objectivo , não era necessário o graduado dar ordem, pois o primeiro bastáva olhar

        para trás, para que imediatamente fosse substituido pelo camarada que se lhe seguia.

                        O tempo foi passando, e  aí estamos nós a preparar-nos para a nossa última operação.A carga

        psicológica é enorme em todos nós, não se falando de outra coisa.A última como a primeira tinham que acontecer.

                        Saimos, mais uma vêz do aquartelamento, pela manhã com o esquadrão de cavalaria  a fazer escolta

        até entrarmos no mato.Tudo se processou normalmente e passados alguns dias iniciámos o regresso a Mueda.

        Por, absoluta, precaução grande parte do percurso foi feito a corta mato.Ora esta caminhada é bastante penosa,

        pois o primeiro elemento vai a desbravar com catana.Esta situação só acontece quando sabemos que não há

        presença do inimigo por perto,pois é um pouco ruidosa, no entanto permite-nos evitar os sempre perigosos

        trilhos.Assim iamos no nosso regresso, muitos já a pensar em Vila Coutinho no Distrito de Tete, quando a minha

        secção toma a dianteira.A rotação continua e na vêz do Sr. Fonseca ir para a cabeça da coluna, tal não aconteceu

        e o camarada da frente parou, parando toda a coluna.Esta situação nunca a tinha vivido.Fui têr com o sr Fonseca.

        dizendo-me ele "Não Vou".Imediatamente reagi, cheguei junto ao ouvido dele e disse-lhe aos gritos "VAIS PARA

        A FRENTE, IMEDIATAMENTE, A BEM OU A MAL".Olhou para mim e ,lentamente, como era seu habito.

        pegou na catana e a coluna prosseguiu rumo ao quartel.

                        Já no quartel, nunca falou comigo, nunca se referiu a nada do que tinha acontecido.Para mim, a partir

        daquele momento passou novamente a sêr simplesmente Fonseca.

                        Nos nossos encontros anuais, apareceu uma vêz, com a esposa e a filha.Quando o vi, saiu-me imediatamente

        a expressão " Olha o sr. Fonseca".A reação dele foi um sorriso aberto, mas não falámos deste caso passado.


                                                                                            José Fernando Pascoal Monteiro ( Ex- Furriel Miliciano )

                                                                                             Linda-.a-Velha, Agosto de 2011

Regressar ao cantinho do Monteiro