R E C O R D A R          M U E D A


                                Passados 42 anos recordo-me perfeitamente de ti, Mueda.Sei bem que essa recordação já não é tão
        nitida, no entanto os factos marcantes estão todos gravados.
                          Recordo-me do primeiro encontro contigo, em que havia uma recepção dos mais velhos combatentes, com
        cartazes a chamarem-nos "CHECAS".Recordo-me da paragem da nossa coluna militar e da nossa entrada, a pé, no
        quartel.Recordo-me da minha "flat" e de todos os  camaradas que a ocupavam e das inesqueciveis festas ali realizadas.
                           Recordo-me que eras uma autentica "cidade" militar, pois tinhas todos os intrumentos para alimentar a
        máquina de guerra. Tinhas tropas de Infantaria, Engenharia, Cavalaria, Aviação, Comandos, Páras e Fuzileiros.
        Tudo tu tinhas, até um aldeamento civil, junto ao quartel.
                            
                           Recordo-me
da primeira saída para o mato e da tensão que isso provocou.Recordo-me das várias
        operações militares que realizei e das emboscadas que sofri.Recordo-me dos silvos da balas a passarem demasiado
        perto e da queda dos ramos de arvores.Recordo-me do barulho provocado pelo embate das viaturas umas nas outras,
        logo após o inicio da emboscada.Recordo-me da progressão penosa a corta mato, aberto a catanada, para evitarmos
        os trilhos, que seria muito mais perigoso.Recordo-me dos "ataques" do terrivel feijão macaco, das mordidelas das
        formigas, que quando eram arrancadas se separávam do corpo.
                            Recordo-me das noites, nunca dormidas, passadas no Vale de Miteda e mesmo a grande distancia, ouvir
        o teu fervilhar com entrada e saida de viaturas.Recordo-me das armadilhas que montei, com a ajuda do sempre presente
        Vilas Boas, e das suas consequências. Recordo-me do meu pelotão ir para o destacamento das águas e passar, á
        esquerda, pelo destacamento dos cães de guerra, onde nunca era montada guarda e  nunca existiam guaritas.
Recordo-me dos
        locais e das circunstâncias em que perdi companheiros.
Recordo-me da coluna de hunimogs, berliets e carros de combate
        de cavalaria, estarem perfilados em frente ao quartel para a nossa última operação e do
nosso comandante Lalanda Gonçalves
        nos dar algumas palavras de animo, reforçadas na convicção do nosso regresso e da pronta resposta do Furriel Valério Pereira.          
                            Recordo-me do aquartelamento de Mueda sêr atacado pelos guerrilheiros da Frelimo e que foram por eles
        lançadas algumas morteiradas que, felizmente, não provocaram ferimentos.Recordo-me do barulho dos helicóteros na sua
        passagem para o hospital.Recordo-me de um avião Dakota, da divisão de fotografia aérea, que caiu nos limites de
        Mueda.Recordo-me de sair do aquartelamento ao entardecer, para me juntar a uma companhia de paraquedistas
e assim
        fazer um assalto a uma base da Frelimo, que não chegou a acontecer pois, após andar toda a noite, ao amanhecer
        chegámos á conclusão que tinhamos sido enganados pela  prisioneira que connosco ia, terminando aí a operação.
                            Recordo-me de têr abandonado Mueda, para ir de férias para Nampula, e que o fiz com bastante entusiasmo
        e contentamento, na companhia do meu amigo Lemos.Recordo o meu regresso, via Porto Amélia e da rápida integração
        na máquina de guerra.Recordo-me de mais uma operação, perto de Nangololo, em que fomos atacados por um enxame
        de abelhas provocando forte dispersão de combatentes e evaquação de alguns deles.
                            Recordo-me, finalmente, do dia em que abandonei Mueda, para novamente fazer a picada para Mocimboa
        da Praia e apanhar o Império.

                                                                                Linda-a-Velha, Novembro de 2010

                                                                      José Fernando Pascoal Monteiro      ( Ex- Furriel Miliciano )

   
Regressar ao cantinho do Monteiro