Perdidos

            E sugiu o problema que fazer, um pelotão de reconhecimento tinha

    deixado de ser contactado, em resumo, tinha sumido, desaparecido na

    densa floresta. Foram acionados todos os meios disponiveis para os procurar

    e socorrer.Eu lá fui integrado num pelotão destinados a procurar os

    camaradas desaparecidos. Andamos váriso quilómetros em direcção ao ponto

    onde tinham feito o último contacto com a companhia. Fizemos uma circunferência

    abrangendo  esse  local. Depois de várias horas de procura, calcorreando vários

    quilómetros na mata, por entre trilhos e caminhos sinuosos, finalmente foram

    encontrados. Estavam exaustos e desidratados, sentados e deitados, à espera que

    alguém os viessem acudir. Já sem água e sem comida, alguns já viram a vida a

    andar para trás. Pelo que nos foi contado, o guia que com eles seguia começou

    a andar às voltas. Verificando que já era a segunda vez que passavam no mesmo

    local, fizeram alto, o guia foi afastado e verificaram que estavam perdidos.

            Para comunicar com a base não tinham rádio, pois com a humidade, as

    baterias já fracas, não aguentaram e o rádio ficou inoperante. Depois de saciados

    e comerem alguma coisa, lá voltamos ao aquartelamento. Nessa noite, ao jantar,

    houve rancho melhorado.

            Moçambique, histórias e factos que se passaram na guerra colonial.

Regressar ao Cantinho do Checa