Mueda, Maio de 1967 a Junho de 1968

                                                                  O que sentimos........



                O que sentimos perante uma distração, onde não ouvimos uma ordem militar, e nos dão um violento

    soco, que quase nos leva ao chão ?????

                O que sentimos quando, após uma emboscada, percorremos toda a coluna perguntando se houve

    problemas e nos dizem - suba para a Berliet - e vimos um camarada estendido, já morto, quase a olhar

    para nós ??????

                O que sentimos quando estamos perante um  condutor, que o seu carro tinha acabado

    de rebentar uma mina, e que estando á espero do heli,  para evacuação, apenas nos diz - Tenho imensa sede -, e

    quando chegámos ao aquartelamento soubemos que tinha falecido ???????

                O  que sentimos quando montamos uma armadilha, escolhemos o local de provavel passagem, e semanas

    depois  encontramos um morto,  civil,  fruto da nossa acção militar ?????????

                O que sentimos quando praticamos actos, em situação de guerra, que normalmente não praticariamos ???????

                O que sentimos quando estamos alinhados, frente ao quartel, prontos para a nossa última operação e ouvimos do

    responsável hierárquico - Esta é fácil, depois vamos para Sul -, sabendo nós que para ele as operações foram fáceis, pois

    "baldou-se " a quase todas ???????

                O que sentimos quando estando no aquartelamento, vimos passar um helicóptero em direcção ao hospital????

                O que sentimos quando vimos pela televisão, ex-camaradas que fizeram o mesmo percurso e que hoje andam errantes

       pelas ruas, sem abrigo ???????

                O que sentimos, quando vamos pela primeira  vêz de férias, saindo daquele inferno,  e nos encontramos

        já na cidade e ao atravessar uma rua ao ouvir  o  simples businar, vamos imediatamente com as mãos á

        posição, onde normalmente, encontramos a G3 ??????

                Sentimos ódio, revolta, interrogação, abandono............

                O que sentimos, passada essa tormenta, passados esses anos e nos encontramos em reunião anual ?????????

                Sentimos  quentes abraços, alegria de estar novamente com os "velhos" companheiros de armas. Contamos

    alguns factos novos, outros são contados de maneira diferente, mas essencialmente sentimo-nos BEM.

                E o futuro ?????? Será, certamente, MELHOR, pois já há NETOS nos nossos encontros e eles comunicam

    com os "velhos" combatentes através da net.

  

                                                                      José Fernando Pascoal Monteiro ( Ex Furriel Miliciano )

                                                                      Linda -a-Velha, Agosto de 2011

Regressar ao cantinho do Monteiro