LEÃO CHEIRA CU

 

Certa noite no SAGAL, num posto de sentinela, o militar que estava de alerta volta momentaneamente as costas para o exterior e sente uma respiração ofegante. Vira-se rápido com a G3 em riste e vê um leão pendurado na varanda que servia se posto de sentinela. Instantaneamente manda-se para o chão ao mesmo tempo que grita. Os restantes militares que estavam no posto e no momento dormiam, viram-se para as armas , tendo o da BREDA disparado o pente completo e o da bazuca disparado a granada. Passados poucos segundos na cerca de arame fardado rebentam uma ou duas minas que poucos dias antes eu tinha armadilhado em todo o perímetro.

Quando chegamos ao posto, o militar estava lívido e nos garante que um leão enorme lhe tinha cheirado o cu. No dia seguinte na cerca do arame farpado encontrava-se  de facto pêlo de leão e sangue.

Afinal os leões gostam de cheirar

                                                                                   António Nascimento

                                                                          Ex- Furriel Miliciano da Companhia de Caçadores 1712

   
Regressar ao Cantinho do Nascimento