O  helicanhão
                       
                
              
              O caminho era  sinuoso, a progressão ia-se fazendo devagar e

        com cuidado pois era uma zona onde se sabia a existência de bolsas de guerrilheiros

        dispersos numa vasta área. Dá-se o encontro de um momento para o outro e ouve-se

        o barulho das armas num fogo cruzado. O combate estava a ser duro e mortifero, 

        valendo-nos um helicanhão que nos acompanhava à distância, e assim conseguimos,

        com a sua ajuda, resolver a situação. Um morto e dois feridos foi o resultado do encontro.

                                    Nessa noite quase não dormi, tinha ainda bem presente o combate do

        dia, passando como se um filme se tratasse. O morto, os feridos, os gritos de dor, o 

        barulho das armas, foi uma noite em claro e horrivel.

                                    Moçambique, histórias e factos passados na guerra colonial no século

        passado.

Regressar ao Cantinho do Checa