Guerra das abelhas


           
Vale de Miteda,1968.Mais uma operação se seguiu,  na rotina de operacionais em Mueda, desta feita ao nivel de

dois pelotões,incluindo o meu.Tinhamos como objectivo o ataque a uma sub-base inimiga, cuja prisioneira, que foi connosco,

sabia onde estáva localizada.

                    Formação na parada do quartel, com noite completamente fechada e escura,azáfame habitual nestas circunstâncias,

com  abastecimento de rações de combate e material de guerra.Lá fomos em bicha de pirilau , saindo pelo lado direito em

direcção aos cães de guerra e aí descemos para o  Vale, fora da picada, em absoluto corta mato.Como a noite estava

completamente cerrada, a distancia entre cada um de nós encurtou e, por vezes, tinhamos que tocar no companheiro

da frente para nos certificarmos da nossa presença.

                    Toda a noite foi passada a caminhar e de manhã, já com muito mais cuidado, tentámos ficar no caminho

do objectivo e já de noite fizemos o circulo normal de segurança, para aí pernoitarmos.Aí ouviamos, ao longe,

choros de crianças, o que nos dizia que estariamos muito perto do aldeamento.Pela manhã formamos novamente

e fizemos a aproximação, com as primeiras secções a  dividirem-se , um pouco, para a esquerda e direita e assim

podermos entrar no acampamento.A entrada foi rápida e não foi disparado um único tiro, pois só foi encontrado

uma pessoa idosa ( kokuana ) e várias galinhas, que imediatamente foram apanhadas, actitude quase normal

nestes casos.

                    Saimos imediatamente do local, começando o regresso ao quartel.Um companheiro do meu pelotao,

que normalmente levava o morteiro 60mm, aproveitou e colocou-o, com uma corda, ás costas da kokuana,

aproveitanto, assim, para descansar um pouco do seu peso.Fizemos uma paragem,salvo erro para almoço,

quando ouvimos uns fogachos e gritarias de "tropa ué", "tropa  ué" e neste momento, sem ninguém saber como

e porquê, dá-se um ataque de abelhas que leva alguns companheiros a fugirem do local.Nunca tinha visto nada assim.

A desorganização militar foi total.Com o passar do tempo fez-se o reagrupamento e alguns estavam muito mal

tratados e houve necessidade de chamar o heli para evacuação, pois alguns já não conseguiam vêr, tal  o inchaço

na zona da vista.Aproveitando a confusão a kokuana esboçou uma tentativa de fuga, e foi prontamente

capturada.

                    A operação acabou ali mesmo, tendo regressado novamente ao quartel rápidamente.

                                  Linda-a-Velha, Novembro de 2012

                                                                                  José Monteiro ( ex Furriel Miliciano )

Regressao ao Cantinho do Monteiro