CHAMADA AO COMANDANTE DE OPERAÇÕES
            
                  Era eu, sempre ajudado pelo Vilas Boas, quem montáva, no meu pelotão, as armadilhas que depois de localizadas
       num papel, eram entregues no comando de operações, para assim todos poderem saber o local onde eram
       colocadas.Numa das várias patrulhas que fizemos, na picada dos antigos postes de abastecimento de águas, e ao verificar
       o estado de uma armadilha conclui que esta tinha desaparecido.Não era a primeira vêz que tal facto ocorria, pois
       era fácil de detectar com um simples capim.Quando cheguei a Mueda fiz o relatório do desaparecimento, com o
       respectivo local e entreguei no comando de operações.
              Estáva eu na minha cama,já alta madrugada. quando fui acordado, pelo sagento de dia, com indicação para me
       deslocar imediatamente ao gabinete do comandante de operações.Surpreendido lá fui e deparei-me, além do comandante,
       com o capitão comando ( Terá sido a 10ª  ??) e o guia nativo.O Capitão, de pé, olhou para mim, do alto dos seus galões,
       e perguntou ,apontando para o mapa - Quem foi o imcompetente que montou uma  armadilha aqui e não a assinalou ???- Apenas
       respondi que provavelmente terão sido os "turras" , pois a que montei ,bastante perto, tinha desaparecido, conforme
       relatório entregue.
            Assim ficou o assunto e lá foram , o capitão e o guia, de regresso ao mato.Ainda em Mueda soube, mais tarde, que a
        mesma companhia tinha sofrido uma embuscado e o capitão foi evaquado para Lisboa. Poucos anos depois, num depósito
        de abastecimento de gasolina do exército ( Na Ajuda ), encontrei-o, mas não chegámos a trocar palavras.

                                                                              

                                                                                      José Fernando Pascoal Monteiro ( Ex-Furriel Miliciano )

Regressar ao cantinho do Monteiro