O Arliquido em Mueda



                    Parada do quartel em Mueda, preparativos para um operação no Vale de Miteda.Com os três  pelotões

        já formados e como já sabia que iamos demorar mais tempo que o habitual, desloquei-me á arrecadação de material

        de guerra para assim poder entregar á minha secção, granadas e especialmente mais munições para a G3.Estava nesta

        asáfama quando de repende dou com algo familiar, um gerador de acetileno.Congelei, absolutamente, no tempo

        e comecei a lêr tudo o que havia no prospeto -ARLIQUIDO Rua Quinta do Almarge,14 -telefone 637136 -.Tinha voltado

        ao meu emprego de sempre, e único, revivi os meus colegas e amigos, voltei a estar com os meu pais, pois moravam ali

       
muito perto.Naquela fracção de tempo voltei a sêr um simples civil.Voltei a percorrer o mesmo caminho de sempre

        para o emprego,voltei a estar, de noite, na Ferreira Borges, onde estudei.Aos fins de semana encontrei-me com

        os meus amigos de infância e combinamos a ida habitual ao cinema.
De repente, como se me dessem um forte 

        murro no estomago, acordo para a realidade com o grito de uma
camarada da minha secção

         - Furriel, está tudo á sua espera - .Voltei novamente á minha realidade.O esquadrão de cavalaria

        já estava á espera na "avenida" em frente á porta de armas,fomos todos para cima dos hunimogs em direcção á  picada de

        Nancatari, onde, já longe do aquartelamento, entramos na mata.

                    Tudo correu bem da nossa parte, pois passados cinco dias todos regressamos a Mueda.Cansados,sujos e, como

        habitualmente, antes do banho retemperador, havia passagem pela cantina com uma "bazuca", bem fresca,

       
pelas goelas abaixo.

   
                                                       Linda-a-Velha, Janeiro de 2013

                                                             José Fernando Pascoal Monteiro  ( Ex-Furriel Miliciano )

Voltar ao Cantinho do Monteiro