Os aniversários



                               Mueda,  Maio de 1967 a Junho de 1968.

                        Na minha companhia, entre oficiais e sargentos, havia cerca de 22 camaradas em que o

        dia de anos era comemorado na secretaria, quase sempre ao jantar. Havia sempre alguns convidados

        dos aniversariantes e também havia dois convidados eternos, não lhe quero chamar " penetras ", pois

        seria uma ofensa, sendo eles os nossos amigos  Boaventura Gaspar e Carlos Westerman. A logistica

        era da responsabilidade do vaguemestre, Francisco  Ribeiro.

                    Num dia que nada havia para fazer, coisa rara, vi um jeep com o Andrade e o Ribeiro a

        aproximar-se da porta de armas, corri um pouco e perguntei onde iam. obtendo com resposta :

        - Entra que vamos à Intendência. Viramos à esquerda e um pouco antes do Santos entrámos

        no dito quartel. Houve alguns abastecimentos, mas o que me chamou à atenção foram as caixas

        de cerveja, em cartão cartonado, e a preocupação do  Ribeiro em observar as garrafas e inclusivamente

        pediu, a mim e ao Andrade, para as agitar e colocar de lado as suspeitas de conter apenas água. Ainda

        brinquei, utilizando a linguagem vernácula utilizana na tropa:

        - Então ando aqui a bater p.... ás garrafas????????

        O que é certo, é que perante a minha surpresa, pois as caricas não se distinguiam das outras, foram

        algumas recusadas, não havendo reação de quem as estava a fornecer e apenas se desculpou que as

        tinha assim adquirido em Mocimboa da  Praia.

                    Mueda era um grande centro militar onde as companhias, situadas no seu perímetro, iam

    reabastecer. de certeza que aquelas garrafas regeitadas foram parar a muitas companhias de chequinhas,

    que assim foram aprendendo com o tempo.

                                               
                                                    Linda-a-Velha, Janeiro de 2018

Regressar ao Cantinho do Monteiro